Novas Imagens do Pulsar da Nebulosa do Caranguejo



A Nebulosa do Caranguejo (M1), é uma das nebulosas mais estudadas pelos astrônomos, o que resultou numa grande quantidade de informações muito importantes para a compreensão da explosão de uma estrela como o Sol em uma supernova, a expansão da nebulosa formada pelos ventos estelares e muito mais. Agora temos imagens mais próximas do "coração pulsante" desta maravilha do universo.



Crédito: NASA , ESA , e Z. Levay ( STScI )
Reconhecimento: M. Weisskopf ( NASA Marshall Space Flight Center)



O instantâneo do Telescópio Espacial Hubble da NASA é centrado na região ao redor da estrela de nêutrons (a mais à direita das duas estrelas brilhantes perto do centro desta imagem) e os detritos em expansão, esfarrapados e filamentosos que o rodeiam. 

A visão nítida do Hubble capta os intrincados detalhes do gás brilhante, mostrado em vermelho, que forma um turbilhão de cavidades e filamentos. 

Dentro desta concha há um brilho azul que é a radiação emitida por elétrons espiralando quase a velocidade da luz no poderoso campo magnético em torno do núcleo estelar esmagado.

Na estrela de nêutrons ocorre processos físicos extremos e violência cósmica inimaginável. 

Os nuvens brilhantes estão se movendo para fora da estrela de nêutrons na metade da velocidade da luz para dar forma a um anel de expansão.

Pensa-se que estas nuvens se originam de uma onda de choque que transforma o vento de alta velocidade da estrela de nêutrons em partículas extremamente energéticos.

Quando esta assinatura de radiação "coração pulsante" foi descoberta pela primeira vez em 1968, os astrônomos perceberam que tinham descoberto um novo tipo de objeto astronômico. 

Agora os astrônomos sabem que é o arquétipo de uma classe de remanescentes de supernova chamados pulsares - ou estrelas de nêutrons girando rapidamente . 

Esses "faróis" interestelares são inestimáveis ​​para fazer experiências observacionais em uma variedade de fenômenos astronômicos, incluindo a medição de ondas gravitacionais.



Fonte: Hubble Site/News Center
Crédito: NASA, ESA, and Z. Levay (STScI)

Acknowledgment: J. Hester (ASU) and M. Weisskopf (NASA/MSFC)





Pulsar provoca ondas na Nebulosa do Caranguejo




A supernova, também chamada estrela de nêutrons, tem aproximadamente a mesma massa do sol, mas está espremida em uma esfera ultra-densa que tem apenas alguns milhas de diâmetro e é 100 bilhões de vezes mais forte que o aço.

Esta estrela de nêutrons ou pulsar gira 30 vezes por segundo em torno do seu eixo. Na imagem ela é objeto brilhante abaixo do centro.

O objeto brilhante à esquerda da estrela de nêutrons está em primeiro plano ou atrás no plano de fundo da estrela.

Este filme de lapso de tempo da Nebulosa do Caranguejo, feito a partir das observações do Telescópio Espacial Hubble da NASA, revela estruturas ondulantes se expandindo para o espaço, como ondas em um lago.

O filme foi montado a partir de 10 exposições Hubble feitas entre Setembro e Novembro de 2005 pela Advanced Camera for Surveys. 

Fonte: Hubble Site/News Center
Crédito: NASA e ESA
Reconhecimento: J. Hester (Arizona State University) 

http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2016/37/video/a/

Visite o link abaixo para mais informações:
http://na-linha-d-agua-imagensastronomicas.blogspot.com.br/2015/02/o-pulsar-da-nebulosa-do-caranguejo.html




Postagens mais visitadas